segunda-feira, 12 de junho de 2017

REGUENGOS DE MONSARAZ: O CALOR COMO PROTAGONISTA…

Reguengos de Monsaraz, 11 de Junho 2017
Por: Catarina Bexiga

O cartel comemorativo dos 30 anos de Alternativa de Luís Rouxinol, em parte, assemelhou-se ao que se viveu na “Celestino Graça” na tarde do seu doutoramento: João Moura e Rui Salvador (apenas faltou Joaquim Bastinhas) voltaram a partilhar as cortesias com o cavaleiro de Pegões. Mas os anos passaram. Embora somadas muitas conquistas pelo meio (dos três); hoje os nossos olhos vêem uma realidade diferente…

Em tarde de muito calor, João Moura e Rui Salvador viram-se melhor nos seus primeiros. Faltou raça ao de Passanha, mas montado no “Marino”, Moura praticou um toureio correcto. Serviu o de Murteira Grave, que investiu humilhado nos capotes, e montado no “Vice-Rei”, os primeiros curtos de Rui Salvador foram mais convincentes que os restantes. As segundas actuações não acrescentaram história à tarde…

Luís Rouxinol sentiu-se acarinhado pela afición alentejana. É um grande toureiro, mas prefiro ficar com o registo de outras tardes de triunfo. Frente ao da Galeana (um toiro que investiu com alegria, mas que teve querença evidente nas tábuas), com o “Douro” praticou um toureio de fácil conexão com o público. Destaco apenas o terceiro curto, cingido do embroque e no remate. Com o da Herdade da Pina, montado no “Amoroso” andou vulgar.

Rematados de carnes, saíram os seis exemplares lidados. Foram reservados os de Passanha e mais colaboradores os de Murteira Grave. O terceiro, teve virtudes, mas querença em tábuas, chamado pelo cavaleiro e autorizado pelo “inteligente”, o ganadero deu volta à arena!?

Pelos Amadores de Montemor-o-Novo pegaram Francisco Bissaia Barreto, Francisco Borges e Manuel Dentinho, todos à primeira tentativa, a confirmar o grande momento que o grupo atravessa. Pelos Amadores de Monsaraz concretizaram David Feijão à segunda, Carlos Polme à primeira e Nelson Campaniço também à primeira.