sexta-feira, 29 de julho de 2016

LISBOA: UM FERRO DOS QUE FAZEM FALTA...

Lisboa, 28 de Julho 2016
Por: Catarina Bexiga

Precisamente no dia em que comemorou 50 anos de Alternativa, Luís Miguel da Veiga voltou a vestir-se de toureiro e a fazer as cortesias no renovado Campo Pequeno.  A noite tinha o seu nome, como homenagem ao que representou na história do nosso Toureio.

João Salgueiro da Costa confirmou a alternativa e toureou em primeiro lugar. Comparativamente com o seu início de temporada,  o recém doutorado cavaleiro de Valada revelou progressos, viu-se mais concentrado e mais a gosto.

João Moura mostrou no Campo Pequeno o quanto é importante querer para puder. Tocou-lhe um grande toiro de David Ribeiro Telles. Montado no Xarope, o segundo comprido, aguentando pela investida do toiro e cobrando com impacto, foi o ferro da noite. Um ferro dos que fazem falta… para enaltecer o nosso Toureio. Depois para os curtos recorreu ao Biorne e ao Zinco, numa actuação que acabou por vir a menos.

Rui Salvador teve uma passagem menos convincente pela capital, com a quadra a não corresponder aos seus desejos.   

António Maria Brito Paes viu-se com mais ofício. E aproveitou a oportunidade para mostrar a sua vertente de toureiro/equitador, adornando a sua actuação com variadíssimos “ares de escola”
Manuel Telles Bastos teve uma apresentação discreta em Lisboa, a precisar de reestruturar a quadra para que possa competir com os demais da sua geração.

Duarte Pinto andou intencional e criterioso, mas sem força para levantar voo…

A encerrar, a longa noite de Quinta-feira, o praticante António Núncio pareceu verde para compromissos de maior responsabilidade como este.
O curro com o ferro de David Ribeiro Telles saiu díspar de apresentação. Fácil o primeiro, bom o segundo e mais reservados os restantes.

Em competição estiveram os Amadores de Montemor-o-Novo e os Amadores de Évora. Pelo grupo mais antigo pegaram António Vacas de Carvalho à 4.ª, João Romão Tavares à 1.ª e Francisco Borges também à 1.ª. Por Évora concretizaram João Pedro Oliveira à 2.ª, Gonçalo Pires (que dobrou o cabo) à 2.ª e Manuel Rovisco (que dobrou João Madeira) à 6.ª