sexta-feira, 19 de agosto de 2016

ARRUDA DOS VINHOS: DUARTE PINTO CONVENCEU... E VENCEU!

Arruda dos Vinhos, 16 de Agosto 2016
Por: Catarina Bexiga

Para convencer… e também vencer o prémio para a melhor lide em Arruda dos Vinhos, Duarte Pinto limitou-se a fazer uma coisa simples: Tourear a Cavalo. Não complicou. Não degenerou. Não imitou. Simplesmente deu vida ao Toureio a Cavalo, na sua verdadeira essência. O terceiro do Concurso de Ganadarias pertencia a Veiga Teixeira. Foi um toiro manso que cedo procurou as tábuas. Mas com os mansos também se pode triunfar. Basta entendê-los. Foi o que Duarte Pinto fez. Montado no “Cesário” dispensou os bandarilheiros e tomou ele próprio a iniciativa. A actuação foi em crescendo. O segundo e terceiro a sesgo, bons (pena não rematar por dentro), e o quarto e quinto, com o toiro fora da querença, também muito bons. Grande actuação! Intencional… e meritória! Frente ao sexto, com o ferro do Eng. Jorge de Carvalho, um toiro reservado, Pinto andou mais discreto.
Filipe Gonçalves entrou para a corrida das Festas em Honra de Nossa Senhora da Salvação no lugar de Marcos Tenório. O toiro de Paulino da Cunha e Silva procurou os terrenos de dentro e o de António Silva veio de mais a menos. Viu-se querer da parte do cavaleiro, mas as actuações não tiveram força para romper.

João Telles Jr. apenas lidou o quinto, porque o de Cunhal Patrício se inutilizou após os compridos. O de Santiago não teve raça, mas Telles Jr. andou disposto e variado.

As pegas estiveram a cargo de três grupos. Pelos Amadores de Évora pegaram Afonso Mata e Martim Caeiro, ambos à primeira tentativa. Pelo grupo de Beja, que apenas pegou o quinto, resolveu Luís Eugénio após cinco tentativas de João Fialho. Pelos Amadores de Arruda dos Vinhos concretizaram Pedro Sabino à segunda e o cabo Rodolfo Costa a emendar Pedro Silva.

No fim, os prémios em disputa tiveram a seguinte distribuição:
Melhor Lide: Duarte Pinto
Melhor Grupo/ Melhor Pega: Amadores de Évora / Martim Caeiro
Melhor Toiro: António Silva.