quarta-feira, 29 de março de 2017

À CONVERSA COM... RICARDO CASTELO

    A propósito do 85.º Aniversário dos Amadores de Vila Franca de Xira - bem como da organização do Festival Taurino, anunciado para o próximo dia 9 de Abril, na Palha Balnco - Falar de Toiros esteve à conversa com Ricardo Castelo. Um diálogo aberto, sobre o reconhecimento e a regeneraçãodo grupo. Somente, um dos mais importantes do país! 
    Por: Catarina Bexiga

    FALAR DE TOIROS - O que significa para si ser cabo dos Amadores de Vila Franca de Xira na temporada em que o Grupo comemora o 85º Aniversário da sua fundação?
RICARDO CASTELO - Ser cabo do Grupo de Vila Franca de Xira significa, para mim, honra e sentido de responsabilidade. Uma honra pela longevidade pois uma instituição que começou há 85 anos merece todo o respeito porque dignifica, todos os dias, a cidade que representamos e todas as pessoas que se disponibilizaram ao longo destes anos a dignificarem o nome deste Grupo. E sentido de responsabilidade porque tem sido um Grupo com muita história e que, graças a Deus, tem estado nos primeiros lugares no que diz respeito à qualidade nesta categoria da festa de Toiros.
    FT - Organizar um Festival Taurino na Palha Blanco é uma forma de dar importância à efeméride que assinalam?
RC - Costumamos organizar um festival de 5 em 5 anos para assinalar datas redondas para partilhar com todos os aficionados o que é o Grupo de Vila Franca, através de eventos como este, como também para fortalecer os laços entre todas as gerações que pertenceram ao Grupo de Forcados de Vila Franca de Xira dando oportunidade a todos de voltarem a desfrutarem de grandes recordações voltando a contribuir de uma forma activa na festa. Para os aficionados também é uma forma de recordar e ver Forcados que marcaram gerações a voltarem a dar “cor” à nossa tão exigente importante praça de toiros Palha Blanco.
    FT - O Grupo tem vindo a treinar, e ainda recentemente na casa do Ganadero José Palha participaram forcados de várias gerações. Sente que tem sido fácil renovar-se de forma natural?
RC - O grupo tem feito uma renovação natural e o ano passado foi, na minha opinião, o ano crucial nessa renovação com a entrada de mais jovens no Grupo principal. Temos ao longo dos anos renovado lentamente, mas com a saída de 3 elementos dos que mais pegaram nos últimos 15 anos, pensei que a qualidade se ia sentir, mas mesmo nos desafios mais importantes o Grupo não baixou a fasquia da qualidade o que é comprovado com a atribuição de muitos reconhecimentos de melhor Grupo por parte da comunicação taurina e instituições. Conseguir renovar mantendo a qualidade é a melhor forma de dar continuidade a uma instituição com 85 anos de existência e é esse o nosso objetivo todos os anos.
O treino com antigos e actuais é mais uma forma de dar a conhecer aos novos Forcados a História do nosso grupo e perceberem a responsabilidade e o que significa ser Forcado no Grupo de Vila Franca. Foi um dia muito interessante e especial com mais de 70 pessoas a treinar.
    FT - Que leitura faz do actual momento do Grupo?
RC - Neste momento temos um Grupo com muita juventude que significa continuidade e com elementos mais velhos a ajudar e a manter a estrutura com sentido de responsabilidade, por isso, acho que está num bom momento e com muita qualidade, apesar de jovem. Este Grupo devia ter mais de 25 corridas por ano (pelo menos 80 toiros). Um Grupo de Forcados atinge os plenos de confiança e sitio pegando.
    FT - Suponho que o Festival Taurino, anunciado para 9 de Abril, conte com a presença de de antigos e actuais elementos do grupo… Todos se vão querer fardar?
RC - Claro que sim. Esta pergunta respondeu também às minhas dúvidas com a presença de muitos elementos no treino para antigos e actuais… Por isso a expectativa é grande.
    FT - O Festival inclui toureio a cavalo e toureio a pé, sinonimo que os Amadores de Vila Franca também são aficionados ao toureio a pe?
RC – Os Forcados de Vila Franca são aficionados ao toureio a pé, mas mais importante que tudo isso é que sabemos que Vila Franca é uma cidade taurina e com grandes tradições ao toureio a pé e que formou grandes nomes a nível Mundial. Esta é nossa melhor forma de homenagear essas figuras e até com a presença de uma delas. É um dia de Família para todos os gostos. Somos de Vila Franca e orgulhosos com os grandes valores da nossa cidade. Esta é, na nossa opinião, a melhor forma de defender os valores da festa.
    FT - Pegam 5 toiros. Com tantos forcados fardados, a tarefa do Ricardo Castelo não vai ser simples…
RC – É verdade. Com tantas opções vão ficar mais forcados “chateados” do que numa corrida normal, mas a prioridade vai sempre cair para antigos elementos e nomes que mais contribuíram para colocar o Grupo de Vila Franca onde está hoje.
    FT - Acima de tudo, o que esperam da tarde de 9 de Abril? Que seja uma tarde de confraternização e amizade em prol dos Amadores de Vila Franca de Xira?
RC – Esperamos principalmente que seja uma tarde que dignifique a festa de toiros e que seja um dia para a Família do Grupo de Vila Franca de Xira desfrutar fazendo o que sabe fazer melhor, ou seja, pegar toiros e viver intensamente a corrida e o convívio. Esperamos, e foi com esse objectivo que escolhemos as figuras do cartaz, que seja um dia com muitos aficionados na bancada e por isso os bilhetes a preços ao alcance de todos. Queremos que este Festival seja mais uma forma de promover, positivamente, a festa taurina em Portugal.