domingo, 17 de abril de 2016

“Em que sentido está a evoluir o Toureio a Cavalo em Portugal?”

Por: Catarina Bexiga


Confesso que o único tema que me levou ao Fórum da Cultura Taurina que decorreu em Lisboa – promovido pelo Grupo Tauromáquico Sector 1 – foi o painel intitulado “Em que sentido está a evoluir o Toureio a Cavalo em Portugal?” 

Quem me conhece sabe que o tema me apaixona e preocupa. A manhã resultou interessantíssima… Embora – numa ou noutra abordagem - tenha ficado demostrado que se a cabeça já não serve para usar o tricórnio, pelos vistos, também já não serve para raciocinar… 

Ao pedir a palavra, questionei o argumento que mais me inquieta: a valorização e promoção do Toureio a Cavalo à Portuguesa, porque como defensora da nossa identidade, há dias em que não tenho tarefa fácil… Quanto à diferença entre o que se vê em Espanha e o que se vê em Portugal; a diferença marca o toiro, e não se deve fazer comparações. Então se os espanhóis são bons no que é o seu toureio, com o seu toiro; porque é que nós, portugueses, com a nossa história/estatuto, e com o nosso toiro, não nos preocupamos em ser bons no que é o nosso toureio? A resposta que ouvi de João Salgueiro e Duarte Pinto encantou-me: “300 % de acordo!”