sexta-feira, 7 de julho de 2017

LISBOA: FOI PRECISO ESPERAR PELO ÚLTIMO…

Lisboa, 6 de Julho 2017
Por: Catarina Bexiga

Foi preciso esperar pelo último. Com paciência. Com resistência. Com afición…

A corrida começou com as actuações a cavalo. Os dois toiros de Falé Filipe escolhidos para o efeito deixaram-se, mas Jacobo Botero desperdiçou a oportunidade dada pela empresa do Campo Pequeno; enquanto Parreirita Cigano andou intermitente. Pelo Aposento da Moita pegaram Ruben Serafim e Leonardo Mathias, ambos à terceira tentativa.

O interesse da noite estava na presença dos matadores de toiros El Fandi e Juan del Álamo, mas a falta de fundo dos toiros de Falé Filipe desluziram as intenções dos toureiros e o optimismo dos aficionados. A corrida saiu díspar de apresentação, basto o quarto (como se pode escolher um toiro com aquelas hechuras para o toureio a pé?), terceiro e sexto mais finos. Dos quatro, apenas se aproveitou o último. Com mais raça e com mais transmissão que os seus irmãos de camada, o suficiente para que algo se passasse na arena. El Fandi andou poderoso nas bandarilhas e sem opções com a muleta; e Juan del Álamo esforçado com o quarto e autor dos melhores momentos da noite no sexto. O toiro começou por investir largo, Álamo apoderou-se dele, sentiu-se toureiro, e recompensou, com toureio caro, os aficionados que aguentaram até ao fim.  

Foto: João Silva / Sol e Sombra