sexta-feira, 6 de abril de 2018

CAMPO PEQUENO: UM RETRACTO (INFELIZMENTE) REAL!



Por: Catarina Bexiga

A nocturna que inaugurou a temporada 2018 na Monumental do Campo Pequeno reflecte, em parte - grande parte - o actual momento em que se encontra o Toureio a Cavalo em Portugal: muita vistosidade e pouca profundidade. Muitos quiebros e pouca verdade. Muito toureio suplementar e pouco toureio fundamental. Muita vulgaridade e pouca exigência, etc, etc, etc…

A corrida do Dr. António Silva saiu volumosa, com média de peso superior a 600 Kg, mas apenas o terceiro da noite foi um toiro equilibrado nas suas hechuras. Curiosamente, um bom toiro, com fijeza, e a pedir que o toureassem na autêntica asserção da palavra. O primeiro revelou-se fácil; o segundo teve querença junto à porta dos cavaleiros, mas também teve mobilidade; o terceiro foi o melhor do curro; o quatro mostrou-se reservado; o quinto saiu mansote e o sexto foi o de menos jogo.

Quanto ao Toureio a Cavalo que se praticou na Monumental do Campo Pequeno muito ficará para refectir; e o comportamento dos “Silvas” não servem de desculpa… Fernandes andou desacertado no seu primeiro e privilegiou o toureio cambiado com reuniões quase sempre à garupa no segundo. Moura Jr. nunca levantou “voo”. Telles Jr. desperdiçou o terceiro com um toureio vantagista, e os argumentos que apresentou no último não tiveram força para convencer. No entanto, todos deram sorridentes voltas à arena!

Pelos Amadores de Santarém pegaram Francisco Graciosa à terceira tentativa, Lourenço Ribeiro e António Taurino ambos à primeira, em duas boas intercepções. Pelos Amadores de Montemor-o-Novo foram solistas António Vacas de Carvalho à primeira, numa grande pega, João da Câmara à segunda (dobrando Francisco Borges), e Francisco Bissaia Barreto também à primeira, em outra grande intervenção.

Sempre que saiu do Campo Pequeno regresso a casa com a mesma sensação: é o melhor público do mundo (para os toureiros)! A questão é que ir ver tourear, não é a mesma coisa que ir ver um concerto ao Rock in Rio…

Nota: Merece uma palavra de louvor Pedro Reinhardt pela seriedade com que dirigiu o espectáculo.

Foto: Facebook Campo Pequeno